Vigilância Epidemiológica

Foram encontradas 1 publicações.

Data Título
22/02/2022 Testes de HIV, Sífilis e das Hepatites B e C no município.
O SUS, por meio do sistema de saúde municipal, disponibiliza gratuitamente o teste de HIV, sífilis, e das hepatites B e C.

Onde posso encontrar e realizar o teste?

Procure a ESF responsável pelo atendimento do seu bairro, ou em caso de emergências, procure o Pronto Atendimento
Municipal.

Quando fazer o teste de HIV?

O teste de HIV deve ser feito com regularidade e, principalmente, se você tiver passado por uma situação de risco, como ter feito
sexo sem camisinha. Esse procedimento é parte do protocolo da profilaxia pós-exposição de risco ao HIV que deve ser buscada
no caso de exposição de risco em até 72 horas (saiba mais na fatia da mandala PEP).

É muito importante que você saiba se foi infectado pelo HIV. Só assim poderá buscar tratamento o quanto antes para não correr
o risco de desenvolver a doença (aids).

Procure um profissional de saúde e informe-se sobre o teste.

Quando fazer o teste de sífilis?

O teste de sífilis deve ser feito com regularidade e, principalmente, se você tiver passado por uma situação de risco, como ter
feito sexo sem camisinha. Nos casos em que o teste rápido for positivo, uma amostra de sangue deverá ser coletada e
encaminhada para realização de um teste laboratorial para conclusão do diagnóstico.

A sífilis tem cura! O tratamento deve ser realizado imediatamente com aplicação de penicilina.

Quando fazer o teste de hepatite B e C?

Para saber se há a necessidade de realizar exames que detectem as hepatites B e C, observe se você já se expôs a algumas
destas situações: praticou sexo desprotegido ou compartilhou seringas, agulhas, lâminas de barbear, alicates de unha e outros
objetos que furam ou cortam.

Importante destacar a importância da realização do teste da hepatite C para as pessoas que receberam transfusão de sangue,
realizaram cirurgias ou transplantes de órgãos antes de 1993. Todas as pessoas nessa situação devem realizar o teste.

O diagnóstico das hepatites B e C é feito por meio de testes rápidos e de exames de sangue complementares, disponíveis na
rede de serviços de saúde do SUS. Na investigação das hepatites B e C, é preciso um intervalo de pelo menos 60 dias após o
possível contato inicial com os vírus para que os antígenos virais (no caso da hepatite B) ou anticorpos (no caso da hepatite C)
sejam detectados no exame de sangue. Após diagnóstico concluído, o profissional de saúde indicará o tratamento adequado.

Lembre-se de que existe uma vacina para prevenir a hepatite B.

Gestantes

As gestantes e suas parcerias sexuais devem realizar o teste de HIV, de sífilis e da hepatite B durante o pré-natal. Todas essas
doenças podem ser transmitidas da gestante para o bebê e por isso é importante a realização dos testes para que possam ser
feitos os procedimentos de prevenção da transmissão vertical.

Janela diagnóstica

Todos os testes possuem um período denominado “janela diagnóstica”, que corresponde ao tempo entre o contato com o vírus
e a detecção do marcador da infecção (antígeno ou anticorpo). Isso quer dizer que, mesmo se a pessoa estiver infectada, o
resultado do teste pode dar negativo se ela estiver no período de janela. Dessa forma, nos casos de resultados negativos,
sempre que persistir a suspeita de infecção, o teste deve ser repetido após, pelo menos, 30 dias

Para mais informações, procure a ESF de referência, ou a vigilância epidemiológica do município.
Visualizar

Nosso site usa cookies e tecnologias semelhantes para melhorar a sua experiência de navegação, assim como providenciar alguns recursos essenciais. Ao continuar em nosso site, você concorda com a nossa Política de Cookies, Privacidade e Termos de Uso.

Utilizamos cookies para melhorar a sua experiência em nosso site. Ao continuar navegando você concorda com estas condições, e, com nossa Política de Privacidade. Consulte nossa Política de Privacidade.
Ir para o conteúdo